É difícil encontrar algum mineiro com mais de 30 anos que não saiba cantarolar, de cor e salteado, músicas como “Tanto”, “Te Ver” ou “É Uma Partida de Futebol”. De fato, os três primeiros discos do Skank marcaram toda uma geração, que se formou musicalmente por meio de rádios, videoclipes da MTV e festivais como o extinto Pop Rock Brasil.

Para reviver essa tríade fonográfica essencial – “Skank” (1993), “Calango” (1994) e “Samba Poconé” (1996) – a banda criou o show “Os Três Primeiros”, que ganhou versão em DVD, lançada neste ano. 

Agora é vez da cidade-natal receber a apresentação, que acontece no sábado (22), no espaço Marô, na edição de Natal da festa “Secreto”. 

O tecladista Henrique Portugal conta que o show surgiu em 2016, quando o Skank celebrou os 20 anos de “Samba Poconé” – álbum de maior sucesso na carreira da banda, com 1,8 milhões de cópias vendidas.

“Fizemos alguns shows tocando somente músicas do álbum, mas chegamos à conclusão de que estava curto. Aí, veio a ideia de tocar músicas dos três primeiros discos, pois eles foram todos gravados com a mesma influência, que era a música jamaicana”, explica.

Assim, o show ganhou corpo com um repertório que inclui sucessos como “Jackie Tequila”, “Garota Nacional”, “Tão Seu”, “Pacato Cidadão”, “Let Me Try”, “Eu Disse a Ela” e “É Proibido Fumar”. 

“A revisão da carreira, tocando essas músicas ao vivo, está sendo ótima. Às vezes é interessante olhar para o passado. Você acaba redescobrindo alguns detalhes que ficaram esquecidos com o tempo”, reflete Portugal, comentando as mudanças na sonoridade do Skank. “Buscar novas referências é algo que sempre nos pareceu natural”, diz.

Histórias

Segundo o tecladista, a recepção do público tem sido bastante entusiasmada, principalmente entre pessoas cujas vidas foram marcadas pelos discos. “O primeiro álbum ficou conhecido em alguns estados brasileiros para além de Minas Gerais. Já o ‘Calango’ funcionou no Brasil inteiro e teve seis músicas executadas em rádio”, relembra. “O ‘Samba Poconé’ foi quem nos levou para fora do Brasil, com ‘Garota Nacional’, música registrada em álbum da Copa de 98, e ‘É Uma Partida de Futebol’, recorde de vendas. São histórias diferentes a cada álbum”, completa.

Henrique Portugal ressalta, ainda, a potência da apresentação que gerou a gravação do DVD, em novembro de 2017, no Circo Voador, no Rio de Janeiro. “Foi emblemático relembrar nossos primeiros shows no Rio”, afirma, empolgado com o show na capital mineira. “Tocar em BH é sempre especial, ainda mais numa data tão próxima do Natal. Esperamos dar um belo presente para quem for ao show”, diz. 

Serviço
“Secreto de Natal” com Skank. Sábado, a partir das 18h, no espaço Marô (rua Gabriela de Melo, 367 A – Olhos D’Água). Ingressos: R$ 240 (inteira) e R$ 120 (meia-entrada) 

Leia mais:

Tapumes da Praça da Liberdade transformados em murais artísticos estão em exposição

Mostra agrupa 13 artistas mineiros do audiovisual e da fotografia na capital

Depois do sucesso da 'bebê da mecha branca', outros portadores revelam como lidam com as diferenças