Foi através do olhar coletivo, de seis curadores, que se formou a 19ª edição do Festival Cenas Curtas, que traz para Belo Horizonte, desta quarta-feira (26) e domingo (30), 16 cenas de palco, três cenas de rua e cinco rolês. A programação ocupa o Galpão Cine Horto e o circuito Corredor Leste.

Chico Pelúcio, diretor do Galpão Cine Horto e um dos fundadores do Grupo Galpão, explica que a proposta do festival é fazer uma cartografia da produção teatral contemporânea – não por acaso, a programação contempla produções de vários lugares do Estado e do Brasil. “Muitas cenas representam o teatro negro, outras falam sobre as questões feministas, há também algumas comédias, performances solos”, enumera.

Riccelli Piva, que também assina a curadoria, ressalta a importância das temáticas abordadas. “Buscamos olhar para propostas que chamavam atenção não só pela definição, mas também pelo que é abordado e quem está por trás disso”, pontua ele, sobre a intenção de dar voz a grupos marginalizados. “Ficou muito forte para mim esse lugar da escuta, mesmo que sutilmente”, diz, citando exemplos que apresentam as vivências de travestis e a abordagem de temas como a transfobia e o machismo.

Para Piva, o contexto sociopolítico atual do país, marcado por discursos de ódio e polarização, reforça a importância destas temáticas. “Nesse momento, isso é um grito. É muito urgente. Tenho a impressão de que perdeu-se a capacidade de comunicação, que não conseguimos dialogar se não for assim”, observa.

Relevância

Apresentando um formato multitemático, que abre espaço para experimentações e estilos variados, Pelúcio chama a atenção para a presença das cenas de rua na programação. “O teatro de rua em Belo Horizonte está cada vez mais abandonado. Somos uma das poucas iniciativas que tenta fomentar, provocar e incentivar esse tipo de produção”, ressalta.

Junto às artes cênicas, o festival ainda se estende para outros campos que vão além do Galpão Cine Horto com os rolês, que acontecem em vários espaços do circuito Corredor Leste, como a Gruta e a Zona Last. “Eles abrem espaço para manifestações híbridas, em que você tem muita performance e a música como referência. Além da utilização de espaços alternativos que fortalecem a região como um corredor cultural”, afirma Pelúcio, que finaliza destacando a trajetória do festival, há 19 anos acontecendo em BH. “Fazemos questão de mantê-lo sem interrupção para criar um calendário que faça parte da vida dos artistas, dos criadores e do público”, sublinha.

SERVIÇO
Festival Cenas Curtas, de quarta à domingo, no Galpão Cine Horto (Rua Pitangui, 3613 – Horto) e no Circuito Corretor Leste. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)