Bola na trave que não altera o placar. Meio-campo como o lugar de craques que levam o time todo para o ataque. Muito antes de o Skank eternizar uma partida de futebol no álbum “Samba Poconé”, em 1996, Jorge Ben Jor já descrevia a paixão nacional em músicas como “Fio Maravilha” e “Cadê o Penalty”.

Entre eles, porém, não há bola dividida e, como numa esperada final de Copa do Mundo, Skank e Jorge Ben Jor se encontram no palco neste domingo, às 16h30, na Praça da Estação. E para não dizer que o mundo da bola é coisa de homem, também entra em campo a cantora paulistana Céu.

Esse bate-bola entre Rio de Janeiro (terra natal de Jorge Ben), Minas Gerais e São Paulo faz parte do projeto “Nívea Viva”, que mais uma vez reúne ícones da música nacional com a nova geração. O Skank nem é tão novo assim (estão na estrada há mais de 20 anos), mas ninguém reproduziu melhor do que eles o amor pelo futebol.

“O Skank tem o gosto pelo futebol e o Jorge é um compositor que sempre visitava esse tema com maestria”, reafirma o baixista Lelo Zaneti, que forma o grupo mineiro ao lado do vocalista e guitarrista Samuel Rosa, do tecladista Henrique Portugal e do baterista Haroldo Ferretti.

Seleção

A ideia é dar novos significados para a obra do Salve Simpatia, que começou nos anos 1960 e atravessou cinco décadas misturando blues, rock, bossa nova e ritmos africanos, culminando no que ele definiu como samba-rock. A celebração começou em 14 de março, no Rio, com uma seleção de 30 canções.

O Skank participa de 14, algumas ao lado do mestre. Os mineiros tocam “Balança Pema”, “Cadê o Penalty” e “Os Alquimistas Estão Chegando” com Céu; “Umbaba- raúma” com o anfitrião, e “Taj Mahal”, com todos juntos colocando o público para pular com o refrão “ê Tê Tê, Têtêretê”.

A direção é da cineasta Monique Gardenberg. “Graças à Monique o show está muito bonito, com projeções nos telões de LED sobre os temas das músicas, e com uma direção à altura do super evento que a Nívea, o Jorge, o Skank e a Céu estão proporcionando ao grande público nas cidades desta turnê”, louva Lelo Zaneti.

Serviço: Projeto Nívea Viva celebra a obra de Jorge Ben Jor – Neste domingo, às 16h30, na Praça da Estação. Entrada franca.

Céu