O álbum “Em Samba: Ao Vivo”, lançado em 2014, esgotou Mart’nália. “Não estava aguentando mais cantar a mesma coisa”, confessa a cantora e compositora carioca. Para curar a canseira, ela decidiu fazer o disco “+ Misturado”, que, como sugere o título, é uma mistura – do samba com o pop e de regravações com canções inéditas. O resultado o público de BH poderá conferir hoje no Grande Teatro Palácio das Artes.

Essa não é a primeira vez que a filha de Martinho da Vila e Amália se envereda por outros gêneros musicais. Em 2012, ela lançou o CD “Não Tente Compreender”, dirigido e produzido por Djavan, no qual uniu pop, rock e soul. Depois retornou às raízes do samba, mas a marca de “Não Tente Compreender” ficou. “Esse (“Em Samba”) foi um disco ao vivo, produzido pelo meu pai. Depois de dois anos no samba, senti que tinha uma necessidade de fazer um (trabalho) de estúdio. E quando terminei a temporada do samba, algumas pessoas me pediram para cantar mais pop”, justifica.

Homenagens

Entre as regravações presentes em “+ Misturado”, “Estrela”, de Gilberto Gil; “Tempo de Estio”, de Caetano Veloso; “Linha do Equador”, de Djavan e Caetano; e “Si Tu Pars”, do africano Lokua Kanza. O medley de “Ela Disse-me Assim”/ ”Loucura”, de Lupicínio Rodrigues, e “Si Tu Pars”, de Lokua Kanza, Mart’nália dedicou à Maria Bethânia. “São pessoas que fizeram parte da minha trajetória, que me ajudaram”, diz. 

Martinho da Vila, claro, não poderia ficar de fora. Logo na abertura do disco, está “Ninguém Conhece Ninguém”, cantada por pai e filha. A canção é pouco conhecida e foi gravada originalmente no álbum “Meu Laiáraiá”. “Apesar de (a música) ser da década de 70, é muito atual. Achei bacana trazer esse samba dele”, comenta a artista. 

Inéditas

O disco traz ainda as inéditas “Se Você Disser Adeus”, parceria de Geraldo Azevedo (outro convidado do disco) e Capinan; “Melhor Para Você”, de Cris Sauma e Tom Karabachian; “Tomara”, de Mart’nália e Mombaça; “Libertar”, de Zélia Duncan, Arthur Maia e Ronaldo Barcellos; “Vem Cá, Vem Cá...”, típica música popular de Cabo Verde, de Mart’nália, Zé Katimba e André da Mata. 

Também entraram a sambossa “Sem Dó”, de Rodrigo Lampreia, Beto Landau e Maurício; o samba de partido alto “Ouvi Dizer”, de Teresa Cristina e Mosquito; e a balada “Eu Te Quero Agora”, de Zé Ricardo. No show, Mart’nália diz que cantará uns 80% do novo trabalho, além de sucessos como “Cabide” e “Chega”.

Serviço:

Show “+ Misturado”, de Mart’nália. Hoje, às 21h, no Grande Teatro do Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537, Centro). Ingressos: de R$ 40 a R$ 120.