Já nos créditos de abertura de “Deadpool”, o primeiro super-herói (ou seria melhor dizer anti-herói?) a aportar nos cinemas em 2016, temos uma boa ideia do estilo de narrativa que será adotado: metalinguístico e irônico, desconstruindo os valores daqueles que defendem os fracos e oprimidos.

Começa tirando um sarro do efeito especial criado para “Matrix”, o bullet-time, com a imagem parando no tempo e a câmera se movimentando para mostrar cada detalhe dela. Usado em nove a cada dez produções de ação, em “Deadpool” mostra até um dedo num lugar inapropriado...

Os créditos destacam que o filme terá o que se espera dele, dentro dos clichês do gênero, como uma mocinha gostosa, um vilão inglês e um diretor que acha que sabe tudo. A principal quebra da receita do bom-mocismo é pintar o protagonista como um egoísta vingativo, desbocado e sem uma missão gloriosa.

Essa ideia vai muito contra um herói criado no século passado, nos quadrinhos, em que os superpoderes devem ser usados para o bem comum, em nome muitas vezes de um certo patriotismo (a perceber pelas roupas). O tempo passou, a produção independente cresceu e os heróis ficaram mais ambíguos. No cinema, a mudança custou a acontecer, com produções modestas. “Deadpool” é o primeiro blockbuster.

Veja o trailer:



 

Piadas

O filme, que estreia nesta quinta (11) nos cinemas, tem diálogos rápidos, cínicos e recheados de referências a outros filmes, na forma de piada. Além de uma censura 16 anos, o que limitará bastante o seu público. Os roteiristas têm razão ao, lá nos créditos, fazerem autoelogios. Sem perder espaço para a ação (tão acelerada quanto a tagarelice do herói) não há um minuto sequer no filme que não haja uma ironia – ao próprio Ryan Reynolds que vive o personagem e ao mundo dos X-Men.

A melhor piada é quando dois pupilos do Professor Xavier resolvem ajudá-lo e “convertê-lo” para o “Bem”. A certa altura, Deadpool nota que, em nenhum momento, os outros integrantes aparecem, responsabilizando a falta de dinheiro dos produtores para contratá-los.
 

Blockbuster sobre a origem de 'Deadpool' chega hoje aos cinemas