Na primeira vez em que trouxe, à capital mineira, a peça “Razões Para Ser Bonita”, a atriz Ingrid Guimarães constatou satisfeita que, na plateia, havia mães acompanhadas por suas filhas, adolescentes. Um fenômeno que se repete em outros teatros pelos quais se apresenta. O motivo de dar relevo a esse detalhe? “É muito importante a discussão deste tema junto a essa nova geração, pois a cobrança entre elas é muito grande. É o mundo selfie 24 horas por dia”, diz a atriz, referindo-se à discussão que a peça instiga.

O espetáculo – que completa três anos em cartaz – baseia-se no texto do dramaturgo norte-americano Neil Labute. Nele, a personagem de Ingrid, Steph, faz uma descoberta que a lança num turbilhão de incertezas: sua cara-metade comenta que seu rosto é... “comum”. Um adjetivo que, em tempos de vaidades exacerbadas e culto ao físico, não é, na maioria das vezes, bem vindo.

“Atualmente, esta busca da estética ideal é uma exigência do mundo, das redes sociais. A gente se vê o tempo todo, tira foto o tempo todo. É a era da valorização da imagem, da propaganda. Vende-se juventude e beleza o tempo todo. Acho que tudo isso faz parte também do mundo globalizado, no qual as pessoas só olham para fora”.

Exageros

E o que Ingrid pensa de tudo isso? “Um exagero. Acho que o importante é se sentir bem consigo mesmo, achar a sua própria beleza – afinal, a conquista da felicidade nada tem a ver com a estética”, pontua.

Cumpre dizer que, na primeira vez em que esteve aqui com esse texto, Ingrid teve o prazer também de detectar, na plateia, além das adolescentes citadas, alguns componentes do Grupo Galpão, aos quais fez questão de agradecer, ao fim do espetáculo, junto aos colegas de empreitada.

Sim, além de Ingrid, a peça conta com Gustavo Machado (Greg, o namorado de Steph), Marcelo Faria e Aline Fanju. Leo (Faria), melhor amigo de Greg, se divide entre achar o máximo namorar uma mulher linda, Carla (Aline) e ter um caso com uma menina mais jovem – e ainda mais linda. E Carla enfrenta as dificuldades de ser bonita. “Acho que o público se identifica com os personagens. É uma comédia que faz pensar”, conclui Ingrid.

“Razões para ser bonita” – Neste sábado (25), 21h, domingo, 18h. Teatro Sesiminas (rua Padre Marinho, 60). Ingressos: R$ 80 e R$ 40 (meia).

“A peça mostra os dois lados da beleza. Hoje, a gente sempre se vê pelo olhar do outro... São muitas formas de exposição da imagem, então, a preocupação com a beleza se tornou obsessiva”