O casal Alexandre Périgo e Paola Lopes decidiram há pouco mais de um mês fazer um ensaio de gravidez nada convencional: aos 9 meses de gestação, a moça desfilou (linda) de cinta-liga pelas ruas de um dos bairros mais tradicionais e conservadores de Belo Horizonte, o Lourdes, na Zona Sul da capital mineira.

"O ensaio é um reflexo do que somos: ateus, comunistas e libertários. Acredite: uma mulher grávida não é uma incubadora assexuada! Quando pensávamos em produzir fotos não queríamos fazer imagens clichês, com sapatinhos do bebê na barriga dela... nosso intuito, desde o início, é mostrar que a mulher grávida é mais forte do que se pode supor e que pode sim ser sexy; e que pode sim ser desejada".

Para o trabalho, Alexandre também alugou um galpão no bairro Saudade, na Região Leste da cidade, onde pode produzir nus da mulher. "Como previsto, durante as fotos feitas nas ruas as pessoas agrediam verbalmente tanto ela, como eu. É a retórica de um claro discurso machista. Em um mar de palavras e pessoas hostis, apenas uma senhora elogiou nosso gesto. Apenas uma pessoa, mas foi extremamente valioso ouvir palvras de afeto", disse o fotógrafo de 45 anos.

Segundo Paola, de 30 anos, o fato de ser atriz e cantora contribuiu para que ela não se importasse com as reações e até ofensas. "Me concentrei na crítica que queríamos fazer, pensei nesse ranço moral que reverbera por aqui. Eu tenho uma família e simplesmente quero cria-la em um ambiente sem preconceitos", assegura a moça.

O casal, que já tem duas filhas de casamentos anteriores (Júlia e Clara), espera para as próximas semanas a chegada de Leonardo. Um garoto que ainda nem nasceu, mas que já tem motivos de sobra para ficar todo orgulhoso da família onde vai crescer.