São muitos os trabalhos de Vladimir Lagrange a torná-lo um ícone da fotografia da antiga União Soviética. É dele, por exemplo, “A Velhinha”, retrato da menina em um jardim de Moscou num dia em que os termômetros marcavam 25 graus negativos. E “As Pombas da Paz”, com jovens em uma comemoração escolar na Praça Vermelha. Até então, o local era fortemente associado ao poderio bélico e opressor do país, devido aos desfiles militares que lá aconteciam.

Essas e outras imagens assinadas pelo russo podem ser vistas até 29 de março na mostra “Assim vivíamos”, em cartaz no Sesc Palladium (avenida Augusto de Lima, 420, Centro, BH).

Pela terceira vez, Lagrange expõe na América Latina. É a estreia dele, porém, na capital mineira.

“É uma mostra muito especial para mim. Cada fotografia é muito querida. Estou feliz que minha obra chegue a Belo Horizonte, porque mais pessoas poderão conhecer meu trabalho, meu país e os heróis das minhas fotografias”.

Segundo o próprio artista, “Assim vivíamos” é um recorte da Rússia na segunda metade do século 20 – da Era Khrushchev até a Perestroika, a abertura econômica da nação.

“Naquela época, eu era jovem e vivia em um país completamente diferente do de hoje. Não posso dizer que era melhor ou pior, mas eu vivia melhor, com mais segurança do dia de amanhã, com uma certa esperança do dia melhor”.

Aos 75 anos, Lagrange ainda deposita no ser humano comum a maior atenção. “Continuo trabalhando, focando em vários temas, mas o homem segue como o centro da minha obra”.

Exposição de fotografia traz a BH imagens marcantes da antiga URSS

Filmes

Além da exposição, “Assim vivíamos” se propõe a exibir um vasto e raro conteúdo cinematográfico.

Nascida em Riga, capital da Letônia, Maria Vragova, de 33 anos, é quem assina a curadoria do projeto, idealizado antes mesmo de ela ir morar no Rio.

“O projeto é, na verdade, uma das razões pelas quais vim para o Brasil. A maioria dos filmes nunca foi exibida antes aqui, e, para além de qualidade artística, espero mostrar outra Rússia: diferente da que está nos jornais atualmente, com outras facetas, tristezas e alegrias”.

Durante a mostra, serão reproduzidos filmes como “Penitência”, de Tenguiz Abuladze, e “O Sol Enganador”, de Nikita Mikhalkov, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro em 1994. As sessões, gratuitas, acontecem até 15 de março.

“Assim vivíamos” vem do Rio de Janeiro, onde, comemora Vragova, foi um sucesso.

“Quase todas as sessões estavam esgotadas, mesas redondas e sessões comentadas eram cheias. Ouvi dizer que o público de BH gosta muito de cinema. Espero que a mostra tenha o mesmo sucesso do Rio. Cruzo os dedos”.

 

 

PROGRAMAÇÃO MOSTRA DE CINEMA

27 de fevereiro

18h - Retrospectiva Maria Saakyan: Essa Não Sou Eu
20h - Mercadoria 200
 
28 de fevereiro

17h - Retrospectiva Maria Saakyan: Entropia
19h - O Sol Enganador
 
1º de março

16h - Retrospectiva Serguei Soloviev: Idade Meiga
19h - Querida Elena Sergueevna
 
3 de março
17h - Assassino do Czar
19h - Retrospectiva Serguei Soloviev: Assa
 
4 de março
19h - Retrospectiva Serguei Soloviev: Rosa Preta, Emblema da
Tristeza; Rosa Vermelha, Emblema do Amor
 
5 de março
16h - Garota Internacional
19h - Retrospectiva Serguei Soloviev: A casa Sobre o Céu Estrelado
 
6 de março
17h - Assassino do Czar
19h - Retrospectiva Serguei Soloviev: Melodias das Noites Brancas
 
7 de março
17h - País dos Surdos
19h - Retrospectiva Serguei Soloviev: A Pomba Branca
 
8 de março
19h - Garota Internacional

10 de março
17h - Retrospectiva Serguei Soloviev: Melodias das Noites Brancas
19h - Retrospectiva Serguei Soloviev: Idade Meiga
 
11 de março
17h - Retrospectiva Serguei Soloviev: A Pomba Branca
19h - Querida Elena Sergueevna
 
12 de março
16h - Retrospectiva Serguei Soloviev: Assa
19h - Retrospectiva Maria Saakyan: Farol
 
13 de março
16h - Retrospectiva Serguei Soloviev: Rosa Preta, Emblema da Tristeza; Rosa Vermelha, Emblema do Amor
19h - Retrospectiva Maria Saakyan: Essa não Sou Eu
 
14 de março
16h - Retrospectiva Serguei Soloviev: A Casa sobre o Céu Estrelado
19h - Retrospectiva Maria Saakyan: Entropia
 
15 de março
16h - O Sol Enganador