Letra cursiva, títulos simples, bicho como protagonista e, no roteiro, lealdade, compaixão, amizade, generosidade, responsabilidade, entre outros valores, resumem “As 7 Virtudes – Histórias do Ranchinho do Gavião”. A coletânea, da jornalista e escritora Dorinha Aguiar, com ilustrações de Fernanda Coimbra, agrega elementos comuns às histórias infantis, se não fosse o fato de a publicação (composta por sete livrinhos) funcionar como um recado para pais e educadores, segundo a própria autora.

“Apesar de conter ilustrações e letra cursiva para cativar a criança, considero a coleção um importante instrumento na formação do caráter e das virtudes. A gente sabe que estes valores são formados na primeira infância, daí a razão de serem explorados pelo adulto junto com a criança”, considera Dorinha.

A sequência de histórias contempla sete bichos em várias situações: “Bonitinha, A Galinha Amorosa”; “Muriqui, O Macaco Feliz”; “O Porquinho Sujão”; “Bolacha (A Vaquinha) e A Luz Azul”; Blume (A Cachorra), Amiga Fiel”; “Bala, a Onça-Parda” e “Carcará (Gavião), o Soberano”. A coleção faz o leitor, inevitavelmente, comparar as publicações com a linguagem das fábulas, uma vez que personagens animais têm características humanas e neste gênero é comum alguma lição moral.

Ao abordar os sentimentos de igualdade e compaixão da galinha Bonitinha ou escrever a alegria compartilhada pelos macacos Muriqui, Dorinha acredita que o recurso de humanizar os bichos chama a atenção dos pequenos e serve de oportunidade para abrir o diálogo sobre temas transversais, como medo, raiva e dor.

E só para constar, o cenário das sete histórias, o Ranchinho do Gavião, existe. O local, situado no “Povoado dos Lima”, segundo a autora, fica entre as cidades de Pará de Minas e Nova Serrana, no Centro-Oeste de Minas, e durante anos pertenceu à família da escritora e era assim chamado. Há algum tempo foi vendido. Dorinha não só frequentou o Ranchinho do Gavião, como se inspirou nos avós e tios para criar os personagens de suas histórias. “Não quero que a criança leia o meu livro e o deixe de lado. Pais e educadores devem provocar a criança, deixá-la pensar sobre sua posição no mundo”.

“As 7 Virtudes – Histórias do Ranchinho do Gavião” foi publicada através de projeto aprovado pela Lei Rouanet. Das 750 coleções da primeira edição, 700 foram doadas para escolas e bibliotecas públicas de cidades do Centro-oeste de Minas. Não raro, a autora recebe pedidos de educadores, o que valeria uma segunda edição.