Rock and roll é atitude. E é justamente isso que até sobra no “Matanza Fest 2014” que desembarca amanhã em Belo Horizonte. O Music Hall, a partir das 20h, será pequeno para o agito das bandas HC, de BH, Diabo Verde, do Rio de Janeiro – além da própria Matanza, que organiza o evento há três anos.

Belo Horizonte foi escolhida para o encerramento do festival – que já passou por outras cidades do país – e promete o som pesado e progressivo do metal/hardcore, country-hardcore e outros babados.

Com 15 anos de estrada, a banda carioca Matanza acredita que o rock não pode perder seu viés independente e anarquista. O vocalista Jimmy London celebra a força do rock. “Essas atitudes do rock são uma saída à margem das coisas mais populares que têm patrocínio. É preciso se virar para fazer as coisas acontecerem. Abrindo as portas dessa forma, com o chamamento das bandas”, frisa.

Para a apresentação em Belo Horizonte, Jimmy London manda um recado aos fãs: vão tocar na íntegra o disco de estreia “Santa Madre”, que comemora 13 anos, em que ficou visível a influência do country-core com o sucesso “Ela Roubou Meu Caminhão” – que os deixou conhecido no cenário do rock nacional.

London explica que Belo Horizonte tem uma forte cena de hard core desde os anos 1980. “Procuramos começar e terminar em lugares diferentes, especiais. Tocamos, às vezes, duas vezes aí e a galera lota os espaços”, atesta Jimmy.

“Matanza Festival” no Music Hall (av. do Contorno, 3.239, Santa Efigênia), hoje, às 20h. Ingresso: R$ 50 (primeiro lote); R$ 60 (segundo lote) e R$ 70 (terceiro lote). Compra: ticketbrasil.com.br/festival/2609-matanzafest-mg

Ouça uma playlist do Matanza: