A partir do dia 3 de setembro, o festival de cinema Indie apresentará 62 filmes de 20 países, com entrada franca, nos espaços Belas Artes, Humberto Mauro e Palladium. Voltado para diretores que estão sendo descobertos em festivais internacionais, o Indie chega à sua 14ª edição trazendo destaques como o polonês "Ida", de Pawel Pawlikowski o documentário imperdível e cult "Nick Cave - 20.000 Diasna Terra"; e os novos filmes de Matias Piñeiro (A princesa da França) e Martín Rejtman( Dois disparos), exibidos recentemente em Locarno.
 
Além de 28 trabalhos inéditos, que constarão da Mostra Mundial, o Indie exibirá a obra completa de dois dos mais autorais, inventivos e importantes diretores do cinema contemporâneo: o catalão Albert Serra e o franco-americano Eugène Green. A novidade, na Mostra Brasil, será a mescla de nvoos filmes e clássicos fundamentais do cinema nacional, como "A História de Eternidade", do pernambucano Camilo Cavalcanti, ganhador do 6º Paulínia Film Festival, e "Sinfonia da Necrópole", da paulista Juliana Rojas, e os cults "Memórias de um estrangulador de loiras" (1971), de Júlio Bressane, e "O Bandido da Luz Vermelha' (1968), de Rogério Sganzerla.