Após 23 anos de trabalho em conjunto, o duo Gilson Peranzzetta e Mauro Senise decidiu mudar de ares. Em vez de gravar em um estúdio, como de costume, registrou seu mais recente trabalho em um local um pouco diferente, mas com uma acústica impressionante.

O álbum "Jasmim" (Biscoito Fino) foi feito na igreja de Nossa Senhora do Bonsucesso, no Rio de Janeiro – dica de Rosane Lanzelotte diretora do projeto "Música nas Igrejas".

O repertório possui uma metade autoral e outra dedicada ao compositor catalão Federico Mompou (1893-1987). Além do piano de Peranzzetta e do sax de Senise, a gravação, feita em cinco dias de dezembro de 2011, contou com o percussionista Amoy Ribas.

"Gravamos esse repertório numa igreja para aproveitar aquela reverberação natural", diz Senise. "São músicas muito melódicas, mas ao mesmo tempo com um toque erudito. É um trabalho mais delicado, sem fugir dos improvisos, que aqui são mais elegantes e sofisticados do que costumamos fazer".

O clima acústico de uma igreja pode muito bem ser reproduzido em um estúdio, mas a dupla preferiu vivenciar o desafio de trabalhar um repertório e uma gravação mais delicada do que o costume. "Foi uma experiência bem intimista, contando com o silêncio natural do espaço. Não é um trabalho que chama atenção pela técnica, mas pela qualidade das melodias que num primeiro momento parecem simples, mas são muito bonitas", afirma Senise. O show de lançamento acontece nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro.

Edu Lobo

Outro lançamento em disco da Biscoito Fino conta com a participação do pianista e do saxofonista. Trata-se de "Edu Lobo & Metropole Orkest", registro de um show realizado há dois anos no Teatro Beurs Van Berlage, em Amsterdã. No repertório, destaques da obra de Edu Lobo, como "Casa Forte" e "Vento Bravo".

Além de tocarem no show especialmente criado pela orquestra holandesa, Peranzzetta fez os arranjos e Senise contribuiu para a direção musical. "Eu já tinha feito um disco em homenagem à obra do Edu Lobo chamado ‘Casa Forte’ com arranjos do Gilson. Somos muito fãs do Edu e tocamos com ele há anos", diz Senise, que tece elogios calorosos para a competência da orquestra. "São tecnicamente muito afinados e bem preparados, com solistas ótimos.
A preparação era fundamental porque houve gravação de apenas uma gravação". Para que tudo desse certo, houve um ensaio intenso. A orquestra recebeu as partituras com muita antecedência.