Democratas assumidíssimos, os quatro integrantes do Bon Jovi parecem estar mais engajados do que nunca. O álbum "What About Now" (Universal), o 12º da carreira da banda, apresenta uma postura política de indignação e questionamento do início ao fim. O principal alvo é a Igreja Católica, maltratada em quatro das 14 faixas – 16, se você adquirir a versão "de luxe".

"What About Now" pouco se diferencia sonoramente de seus antecessores (é um álbum recheado de canções de pop rock, feitas para levantar multidões), mas provavelmente é o que evidencia mais claramente a forte influência que esses músicos de Nova Jersey recebem de Bruce Springsteen. A grande diferença entre eles é que, enquanto este é amado pela crítica mundial, o Bon Jovi será sempre um grupo com um gigantesco número de fãs, mas pouco reconhecimento da mídia especializada sobre sua qualidade.

A primeira faixa do álbum já indica seu direcionamento político. Um dos melhores momentos do longo disco, "Because We Can" faz uma clara referência ao governo Obama e seu slogan. Sim, é uma canção de amor, mas facilmente encarada como um hino: "I ain’t no soldier/ But I’m here to take a stand" (Não sou um soldado/ Mas estou aqui para tomar uma posição).

Soldado

A faixa-título também é emblemática de uma linha encabeçada por Springsteeen. "What About Now" conclama o ouvinte a partir para a ação, a fazer a diferença no mundo. "Army of One" já mostra em seu título a que veio: questiona a subserviência de um soldado durante a guerra.

Os problemas do dia a dia de uma sociedade em crise aparece em trechos de várias faixas, como "Thick as Thieves" (sobre amantes fora da lei), "I’m With You" (sobre uma vida sem esperanças) e "Beautiful World" (forte crítica à sociedade contemporânea).

"The Fighter" é uma das melhores músicas do álbum, com belo encontro das vozes de Jon Bon Jovi e Richie Sambora, com uma simples e contestadora letra. Essa faixa faz uma crítica a padres pedófilos, mas a metralhadora contra a Igreja Católica é disparada por meio das músicas "Not Running Anymore", "That’s What the Water Made Me" e a chata "Amen".

Se adquirir a versão "de luxe", ouça até o final. Richie Sambora encerra muito bem com "Every Road Leads Home to You".