PARATY - Enquanto a Festa Literária Internacional de Paraty, no Rio de Janeiro, vai chegando ao final, outra feira importante para a literatura anuncia seus intentos. A Fliporto, que começou em Porto de Galinhas, Pernambuco, e hoje é realizada em Olinda, de 15 a 18 de novembro, escolheu Nelson Rodrigues como o autor homenageado do ano. Pernambucano, assim como o poeta Manuel Bandeira, ele se consagrou vivendo no Rio de Janeiro, mas carregou influências portuguesas e espanholas da sua terra, garante o coordenador literário do evento, Mário Sérgio Gomes.

Definindo a Fliporto como feira com interesse especial na produção ibero-americana, o curador afirma que os novos escritores de Pernambuco tentam fugir do regionalismo para tratar do urbano, um traço inerente à literatura produzida em todo o país, com o crescimento das cidades. “Mas não podemos mais separar o que é universal do que é regional. James Joyce escrevia sobre sua terra, e nada mais universal que a sua obra. O mesmo ocorre com a escrita de Guimarães Rosa”, disse.

Entre os convidados para a Fliporto deste ano estão o moçambicano Mia Couto, o novaiorquino Robert Darnton e os brasileiros Ariano Suassuna e Ruy Castro, biógrafo de Nelson Rodrigues, entre outros. Os organizadores da Fliporto participam também da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip).

Mário Sérgio considera que a proliferação dos eventos literários desperta o interesse pelos livros, mas as políticas de incentivo à leitura cabem aos governos. “A feira aproxima o leitor do seu escritor favorito. E claro que alguém que não lê vê essa festa em torno dos livros e nele a curiosidade desperta”, afirma. A Fliporto realiza um trabalho de envolvimento da comunidade, especialmente as escolas, com a literatura, durante todo o ano.