Coronavírus: sonhos suspensos e maternidades adiadas

Opinião / 08/04/2020 - 06h00

Cláudia Navarro*

Estamos passando por um momento de atenção, cuidado e, sobretudo, cautela. É um tempo em que o isolamento social se faz extremamente necessário àqueles que podem e precisam se isolar. Estamos evitando a propagação de um vírus, ainda pouco conhecido, mas que tem chamado a atenção do mundo inteiro. Por isso, a vida não tem seguido seu curso natural.

Muitas pessoas tinham planos para 2020: casamentos, viagens dos sonhos, festas, aniversários da empresa, eventos, o início de um curso, as aulas de direção, e tantos outros! Entre eles, o sonho da maternidade. Para muitas mulheres vai ser preciso esperar mais um pouco.

É que as principais sociedades de Reprodução Assistida do mundo e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendam que os tratamentos para fertilidade sejam suspensos, pelo menos por enquanto. A não ser aqueles que já foram iniciados ou casos de urgência, como o congelamento de óvulos de pacientes oncológicas.

Sabemos que interromper um sonho pode ser difícil demais para quem já esperou tanto e estava tão próximo de realizá-lo. Sabemos também que existem mulheres que demoraram muitos anos para descobrir problemas em seu sistema reprodutor. E agora, depois de passarem por diversos exames e superarem o baque de descobrir a infertilidade, estavam determinadas a iniciar o tratamento para realizar o sonho de ter um filho.

Mas é hora de agir com cautela!

E nós, especialistas em Reprodução Assistida, continuamos aqui para ouvir e ajudar a todos a passarem por esse momento. Com a permissão temporária do Conselho Federal de Medicina (CFM) para a telemedicina, é possível agendar uma consulta on-line para esclarecer todas as dúvidas e buscar orientações.
Permanecemos disponíveis, oferecendo nosso amparo enquanto acompanhamos a busca por respostas. Não sabemos ainda como esse novo vírus se comporta nem quais são os riscos para uma mulher grávida. Não há estudos suficientes que mostrem a transmissão para o filho ou possíveis sequelas depois de uma contaminação. É tudo muito novo.

Por isso, é melhor esperar! Para quem já aguardou por anos, lembre-se de que tudo irá se normalizar e, em breve, será possível sonhar de novo!
Agora é hora de se concentrar naquilo que importa: informar-se bem, tomar cuidado, prevenir-se e não sair de casa se não for urgente ou necessário. Quando tudo isso passar, vamos todos retomar nossas vidas exatamente de onde pararam.

E hoje, é importante dizer: a vida vai continuar!

*É especialista em reprodução assistida e diretora clínica da Life Search. Graduada em medicina pela UFMG em 1988, Cláudia titulou-se mestre e doutora em medicina (obstetrícia e ginecologia) pela instituição federal

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Comentários