Um braço robótico capaz de analisar até 96 amostras de DNA simultaneamente é a nova aposta da Polícia Civil para agilizar os trabalhos de identificação de 137 fragmentos de corpos encontrados em Brumadinho e que aguardam identificação no Instituto Médico Legal (IML).

O equipamento já está instalado no laboratório de DNA do Instituto de Criminalística da PCMG e é capaz de realizar operações de manuseio de material biológico (transferência, pipetagem, diluição, dispensação, suspensão, agitação, lavagem e transferências de alta densidade), além de fluxos automatizados com mais precisão e agilidade.

A estação de trabalho BIOMEK I5, como a tecnologia é chamada, começará a ser utilizada assim que forem concluídos os treinamentos dos peritos criminais do Laboratório de DNA Forense, que estão em fase final.

Até o momento, já foram identificadas 247 vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho e outras 23 permanecem consideradas desaparecidas.

Leia mais:
Polícia Civil identifica homem de 50 anos encontrado em Brumadinho
Bombeiros acreditam em celeridade para encontrar mais corpos em Brumadinho com estratégia de buscas