Cerca de 80 moradores do bairro Glória, na Região Noroeste de Belo Horizonte, protestam na manhã desta terça-feira (19), por melhores condições de atendimento no centro de saúde do bairro. 

De acordo com Suely Bernardes, presidente do Conselho Local de Saúde, a unidade passa por diversos problemas de falta de insumos e excesso de demandas. “O Centro do Glória atende as populações tanto daqui do bairro quanto do bairro Coqueiros, e não temos pessoal nem materiais suficientes para toda essa demanda”, se queixa Suely, completando que uma das reivindicações do movimento é a criação de um centro de saúde no bairro Coqueiros.

Com a manifestação, os atendimentos no centro foram suspensos. Um dos moradores, que pediu para não ser identificado, reclama da demora nos atendimentos e da falta de especialidades médicas. “Sempre muito cheio, os próprios trabalhadores não dão conta de atender às demandas e também protestam por melhores condições”.

O outro lado

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, que enviou uma nota afirmando que o centro está interditado até 13h por conta de problemas na segurança no local, onde uma funcionária sofreu um assalto à mão armada.  Confira a nota na íntegra:

Em resposta à solicitação da Imprensa, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) informa:

1.    Na manhã desta terça-feira (19/06), houve um assalto nas imediações do anexo do Centro de Saúde Glória. Uma funcionária da unidade foi vítima de assalto à mão armada pela manhã;

2.    A Polícia Militar foi acionada e foi feito o boletim de ocorrência. A unidade conta com guarda municipal e no momento do assalto o guarda estava na unidade;

3.    O acolhimento aos pacientes foi suspenso e a previsão é de retornar amanhã (19/06). Os procedimentos agendados serão remarcados;

Em relação às outras reivindicações, a secretaria afirmou que o secretário de Saúde, Jackson Machado Pinto, vai se reunir com representantes do movimento ainda nesta terça-feira.