Mais de 1 milhão de famílias que possuem direito ao Auxílio Emergencial Mineiro receberam o benefício até esta segunda-feira (29) no Estado. O índice corresponde a 99% daqueles que se enquadram nos critérios para receber a parcela única de R$ 600. 

Até o momento, segundo informou o governo de Minas, R$ 606 milhões foram repassados ao programa, criado para minimizar os impactos da pandemia da Covid-19 na população mineira mais vulnerável. 

Nesta terça (30), mais de 7 mil famílias ainda receberão o benefício. Elas integram o grupo que não foi contemplado na última parcela, paga de 14 a 29 de outubro, por irregularidades no cadastro ou problemas com a conta para depósito. 

Segundo o superintendente de Proteção Social Básica, Elder Gabrich, a complementação dos dados foi feita por meio de trabalho da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), que conseguiu obter as informações pendentes a partir de bases mais atualizadas do CadÚnico e junto à Caixa Econômica Federal, pelo cadastro NIS dos beneficiários. 

Elder também informou que a Sedese enviou à gestão municipal uma lista com os beneficiários que ainda aguardam o pagamento para que as famílias sejam localizadas e tenham os dados faltantes incluídos no cadastro, além de um formulário on-line com as informações necessárias para abertura de conta. “Com os dados em mãos, a Sedese poderá novamente solicitar abertura de conta à CEF e depositar o auxílio”. 

Um novo pagamento extraordinário está previsto para dezembro. Caso necessário, outro deverá ser feito em janeiro de 2022 para que os órgãos municipais tenham tempo de enviar os dados e todos sejam contemplados.

(*) Com informações da Agência Minas

Leia mais:
Quase 20 mil famílias não conseguiram sacar o Auxílio Emergencial Mineiro; saiba o que fazer
Quem tem direito ao auxilio emergencial mineiro? Qual o valor? Quando começa? Veja o tira-dúvidas
Minas registra um óbito e 97 novos casos de Covid em 24 horas