Belo Horizonte terá uma mobilização para vacinação contra a Covid-19 neste sábado (20). O objetivo é atualizar a situação de pessoas que ainda precisem da primeira, segunda ou terceira dose (reforço) do imunizante da Pfizer.

Os centros de saúde da capital estarão abertos das 12h às 18h e os pontos de drive-thru e shoppings, das 13h às 19h. Os endereços, localizados nas nove regionais da cidade, podem ser consultados neste link.

Para receber a vacina, é preciso comprovar residência em Belo Horizonte, apresentar documento de identificação com foto e CPF e não ter tido Covid-19 nos últimos 30 dias.

Quem precisa da segunda dose do imunizante deve comprovar ter recebido a primeira aplicação há, no mínimo, oito semanas.

Regras para a dose de reforço

Pessoas com alto grau de imunossupressão podem receber a dose adicional da vacina da Pfizer se já tiverem completado, ao menos, 28 dias da aplicação da segunda dose, que precisa ser de um fabricante diferente.

No momento da vacinação, esse público precisa apresentar, além dos documentos citados, exames, receitas, relatório médico e/ou prescrição médica emitidos em até 12 meses antes da data da convocação para a dose adicional, devendo conter o número do registro do respectivo conselho de classe, de forma legível. 

Já para idosos que vão receber a dose de reforço, também é necessário ter recebido a segunda dose no prazo de cinco meses. Até o momento, já foram convocados para receber a dose de reforço idosos de 64 anos ou mais.

No caso de trabalhadores da saúde, é necessário ter recebido a segunda dose no prazo de cinco meses e apresentar, ainda, documento que comprove ser trabalhador em atividade em estabelecimentos de saúde na capital.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta que as pessoas chequem os endereços, disponibilizados no portal da Prefeitura, antes de se deslocar aos pontos de imunização.

Leia Mais:
Manifestantes criticam preço da energia e do gás de cozinha em movimento no Centro de BH
'Todos contra a Importunação Sexual': Mineirão lança campanha contra o assédio nos jogos