Dois policiais militares foram filmados, na noite desta sexta-feira (5), durante uma abordagem violenta contra uma mulher que segurava um bebê, em Itabira, na região Central de Minas. Nas imagens é possível ver o momento em que a mulher foi imobilizada com o joelho de um dos PMs no pescoço. 

Durante a gravação é possível que, além do bebê, momentos antes de ser abordada pela polícia, a mulher estava segurando a mão de um menino. Assim que os polícias começam a tentar prender a jovem, o garoto começa a gritar com os oficiais e até chuta a perna de um deles. 

As pessoas que presenciaram a ação tentaram intervir, para evitar que a criança de colo se machucasse. Em outro vídeo, uma mulher tenta pegar o neném enquanto a vítima está sendo presa. 

Procurada, a Polícia Militar informou que na noite dessa sexta-feira realizou a prisão em flagrantes de um casal por porte ilegal de arma de fogo. Com o homem foram apreendidas quatro munições calibre 32 e que, ao tentar pegar a arma da outra suspeita, ela se agarrou a uma criança, usando-a como escudo humano. A corporação esclareceu, ainda, que os fatos da abordagem serão apurados pela instituição em durante um procedimento administrativo. 

Repulsa

Após a repercussão dos vídeos da abordagem da Polícia Militar, o prefeito de Itabira, Marco Antônio Lage (PSB),  se manifestou dizendo ter repulsa à atitude dos militares. De acordo com o líder do Executivo da cidade, a ação deve ser apurada “com rapidez e rigor”. 

Nas redes sociais, muitas pessoas lembraram do caso de maio de 2020, quando o norte-americano George Floyd morreu sufocado após ter o pescoço pressionado pelo joelho de um policial, nos Estados Unidos. A fala “I can’t breathe" ("Eu não consigo respirar", em inglês) virou o slogan da luta contra a repressão policial contra pessoas negras.