Minas registrou 296 novos casos da variante Delta do coronavírus. Conforme dados atualizados nesta sexta-feira (24) pelo painel de monitoramento da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), 711 amostras identificaram a mutação originária na Índia em 129 cidades do território mineiro. O último dado, divulgado na terça (21), indicava 415 notificações, ou seja, em poucos dias, os registros aumentaram 71%. 

Mais transmissível que a forma original do vírus, ela é considerada uma variante de preocupação pela Organização Mundial de Saúde (OMS). No Estado, a cepa está mais presente em Juiz de Fora, na Zona da Mara, com 117 registros. A capital mineira aparece em seguida, com 85 notificações. 

Até o momento, nove mineiros foram vítimas da mutação. As mortes ocorreram em Belo Horizonte, Cabeceira Grande, Caratinga, Claro dos Poções, Contagem, Piraúba, Rio Novo e Uberaba. 

Cepa deve se tornar mais comum

Nessa quinta (23), durante coletiva de imprensa realizada em BH, o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, afirmou que a variante deve se tornar a cepa mais comum no território mineiro.

No momento, a Delta já representa metade das amostras de Covid-19 em estudo genômico realizado no Estado. “Hoje, metade do estudo genômico é de Gama e a outra metade é de Delta. Nosso estudo tem uma triagem que aumenta a possibilidade de Delta. Como expectativa nossa, foi confirmada que a cepa realmente vai se tornar a variante mais comum”, disse Fábio Baccheretti.

Variante Mu

Em relação à variante Mu, não há mudanças nas notificações. Até o momento, sete casos foram confirmados, sendo dois em Guanhães e três em Virginópolis, na região Leste, e dois em Braúnas, no Vale do Rio Doce. Não há mortes.

Leia mais:
Minas registra mais 2.304 novos casos e 53 óbitos por Covid em 24 horas
BH não vai exigir passaporte da vacina, diz secretário Jackson Machado
BH vai repassar R$ 76 milhões à Santa Casa para manter leitos abertos na pandemia