Quinze minutos. Esse é o tempo prometido pelo Ministério da Saúde para detectar se uma pessoa está, ou não, infectada pela Covid-19. A proposta de aceleração do resultado do exame foi apresentada nesta sexta-feira (17), através do Plano Nacional de Expansão da Testagem. De acordo com o órgão, 60 milhões de exames de antígeno, que mostram o diagnóstico com essa rapidez, devem ser distribuídos no país até o fim do ano.

A operação foi lançada pela pasta federal em evento simultâneo em seis capitais do Brasil. Dentre elas, Belo Horizonte. Ainda em setembro, 9 milhões de unidades estão previstas para serem entregues aos estados e o Distrito Federal. Nesta semana, o ministério enviou 2,4 milhões de testes para garantir o aumento da testagem. Destes, 246,7 mil foram destinados a Minas (29 mil para a capital).

"A testagem é fundamental dentro do controle da pandemia. O teste de antígeno é fundamental na primeira triagem. Entao, quanto mais testes, melhor", afirmou o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti.

Durante o evento realizado no Centro de Referência da Juventude (CRJ), no Hipercentro de BH, 250 coletas serão feitas para identificar possíveis infecções pelo coronavírus. As recomendações do plano são detectar a doença em pessoas com e sem sintomas em locais de grande circulação.

Segundo o secretário municipal de Saúde de BH, Jackson Machado Pinto, os testes rápidos ampliam a capacidade de detecção dos casos de maneira mais precoce. O RT-PCR, por exemplo, só informa o resultado após 48 horas.

"Essa testagem é muito oportuna, porque permita um rastreamento dos casoos pouco sintomáticos. A gente fazia o RT-PCR nos muito graves, e isso deixava passar uma quantidade de pessoas potencialmente capazes de transmitir o vírus". 

Além disso, ele informou que o quantitativo disponibilizado à metrópole será distribuído nos centros de atendimento à Covid e, possivelmente, nas Unidades Básicas de Saúde. 

"Quanto maior o número de pessoas testadas, maior vai ser a nossa percepção da transmissão do vírus na cidade", completou.

Leia mais:
Minas vai vacinar todos os adolescentes, com e sem comorbidades, diz secretário Fábio Baccheretti
Variante Delta representa 60% dos casos de Covid-19 em BH