O Palácio das Mangabeiras, antiga residência oficial do Governo de Minas, será transformado em um espaço público para eventos e visitação com agenda permanente. A novidade foi anunciada nesta quinta-feira (16) pelo governador do Estado, Romeu Zema (Novo).

A mudança vai ocorrer após a 26ª edição da CasaCor Minas, mostra de decoração que fica em cartaz no espaço até 17 de outubro.

Segundo o governador, a intenção é permitir que o público conheça e usufrua do lugar, projetado por Oscar Niemeyer e com projeto paisagístico de Burle Marx. "Suponho que 99% do público que visita a CasaCor não conhecia o Palácio das Mangabeiras antes. E penso que nada justifica alguém que está à frente de um Estado com seríssimos problemas financeiros morar numa estrutura que onera o povo que muitas vezes passa dificuldades", afirma Zema.

Zema não chegou a morar no imóvel. "Estamos colocando um equipamento público à disposição da população e não para ostentação e criação de privilégios", defende o governador.

Economia 

O Palácio das Mangabeiras é administrado pela Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) e, de acordo com o governo, a economia por não utilizar o local é de R$ 3,3 milhões por ano.

"O Palácio das Mangabeiras é um espaço único e relevante que, fechado, deprecia e gera despesas, além de não criar nenhum valor para a população mineira. Diversas ações estão sendo pensadas em colaboração com a Multicult e estamos muito próximos de chegar ao modelo de utilização do espaço que o valorizará, além de neutralizar despesas atuais", explica Mateus Quintela, diretor de administração e finanças da Codemge.

Quintela afirma ainda que a ideia é promover uma agenda permanente de eventos para que, ao longo do ano, os mais diversos públicos possam usufruir do espaço.

Leia Mais:
Queiroga critica vacinação antecipada e diz que suspensão está atrelada aos eventos adversos
PBH convoca pessoas de 53 e 54 anos para segunda dose e faz repescagem para 3ª dose em idosos