Desde o início da pandemia da Covid-19, 74% dos brasileiros adquiriram um ou mais problemas de sono. Desses, 50% relataram que a pandemia afetou diretamente a capacidade de dormir bem. O estudo é da Royal Philips, empresa de tecnologia de saúde, e foi feito com 13 mil adultos no Brasil e outros 12 países.

Um dos problemas relatados é a apneia do sono, um distúrbio em que os músculos da garganta relaxam a ponto de entrar em colapso, restringindo o fluxo de ar, o que faz com que a respiração se torne superficial e até pare por segundos ou minutos, privando o corpo e o cérebro de oxigênio.

O risco da apneia é que ela pode provocar doenças cardíacas. Os eventos repetidos de apneia promovem fragmentação do sono e ativação de adrenalina no corpo, contribuindo para acelerar e sobrecarregar o coração.

A otorrinolaringologista, com atuação em Medicina do Sono, Cintia Rosa, conversa com a repórter Maria Amélia Ávila sobre a apneia do sono, nesta quinta-feira (16), às 17h30.

A live será transmitida pelo Instagram do Hoje em Dia.

Leia Mais:
Após recomendação, BH decide não vacinar adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidade nesse momento