A forte onda de calor e o tempo seco que atingem Belo Horizonte desde a última semana vão continuar castigando os moradores pelos próximos dias. A tendência é de que os índices melhorem um pouco apenas entre hoje e amanhã, mas, ainda assim, os termômetros podem ficar acima dos 3O°C. Essa elevação e a baixa umidade relativa do ar são características desta época do ano, com o fim do inverno e a proximidade da primavera, que terá início às 16h21 da próxima quarta-feira (22).

Porém, a próxima estação – geralmente marcada por temperaturas mais amenas – deve começar mais quente e sem chuva, o que faz com que o cenário atual siga, ao menos, até a próxima semana.

“No decorrer da primavera tende a melhorar. A gente tem que acompanhar a evolução, porque um ano nunca é igual ao outro. Mas, nesta virada (entre as estações), permanece o tempo seco e as altas temperaturas, que são uma característica”, diz a meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) Anete Fernandes.

Em BH, os últimos dias tiveram características similares às de regiões desérticas. Ontem, por exemplo, a capital mineira registrou a temperatura mais quente do ano (36,2°C), acompanhada pelo tempo seco e umidade em 13%.

Risco para a saúde

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é que a umidade relativa do ar fique entre 50% e 80%. BH, porém, parece estar distante desse índice, mesmo com sinais de melhora entre hoje e amanhã.

De acordo com o Inmet, os termômetros devem marcar 31°C nesta quinta e 29°C na sexta. No sábado, a previsão indica 32°C, conforme informa Anete Fernandes.

“Os modelos mostram uma queda de temperatura e um aumento nos índices de nebulosidade e umidade, que deve ficar em torno de 30% a 40% até sexta, o que pode melhorar um pouco o calor e a secura do ar. Mas sábado (18) os termômetros voltam a subir e a umidade fica, em média, em 25%”, aponta.

Números tão baixos de umidade são prejudiciais à saúde, podendo causar desconforto nos olhos, boca e nariz, ressecamento da pele e dores de cabeça. Conforme informou o meteorologista Claudemir de Azevedo, a elevação da temperatura e a redução da umidade são consequências de uma forte massa de ar quente, comum nesta época do ano.

“O calor se deve pela persistência dessa massa de ar seco e quente, ocasionando estes picos de temperaturas. E, normalmente, o mês de outubro apresenta temperaturas ainda mais elevadas”, avalia.

Diante deste cenário, a Defesa Civil alerta os belo-horizontinos para baixa umidade relativa do ar até, pelo menos, às 18h de segunda-feira (20).

Leia também:
Umidade fica em 13% e clima de deserto segue até o fim de semana em BH
BH bate recorde de calor do ano, com termômetros acima dos 36ºC nesta quarta-feira