Duzentos e oito apartamentos foram entregues, nesta terça-feira (10), a famílias desabrigadas pelas chuvas que atingiram Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), no período 2019/2020. Na época, o município registrou mortes em decorrência das precipitações. As unidades habitacionais foram entregues pelo prefeitura da cidade.

O Conjunto Habitacional Antony Oliveira leva o nome de uma das vítimas da tragédia, um bebê de seis meses que morreu soterrado com a mãe, de 24 anos, e o irmão, de 6.

Cada apartamento tem dois quartos, sala, cozinha e banheiro - e a unidade conta com uma vaga de garagem. A definição de qual das 208 famílias ficariam com cada unidade habitacional foi feita mediante um sorteio. 

Outros 292 moradores, que ainda não receberam uma residência, continuam com o auxílio-aluguel mensal. A prefeitura afirmou que está viabilizando recursos para a construção de outros 200 apartamentos, e mais 208 serão construídos com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). 

A decisão de quais famílias seriam selecionadas para a primeira entrega foi feita a partir de alguns critérios de seleção, publicados pela prefeitura em uma portaria em 30 de março de 2021. Dentre eles estão idosos; pessoas com doença crônica e incapacidade para o trabalho; famílias com maior número de filhos menores de 18 anos; portadores de deficiência; famílias que tiveram vítimas fatais nas chuvas etc

Leia mais: 

Taxa de contaminação da Covid diminui pelo segundo dia consecutivo em BH
Concurso público é retomado em Contagem após ser suspenso por causa da pandemia
Vereador de BH, Bim da Ambulância, tem pedido de cassação arquivado