A população mineira deve receber uma terceira dose da vacina contra a Covid-19. A notícia foi dada pelo governador Romeu Zema, durante uma visita à Montes Claros, no Norte de Minas.

Sem dar muitos detalhes, o chefe do Executivo disse que o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, tem participado de discussões sobre o assunto. "Em breve, nós deveremos ter algumas informações a respeito dessa fase 2 do Plano Nacional de Imunização", diz.

Atualmente, estão disponíveis três compostos químicos que demandam duas doses: CoronaVac, Pfizer e AstraZeneca. Mas Zema não informou qual vacina deveria ser aplicada pela terceira vez.

Sobre a sequência de imunização, a previsão é de que, a partir de setembro, chegue a vez de crianças e adolescentes.

Consenso 

Em julho, o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, já havia sinalizado a possibilidade de algumas vacinas contra o novo coronavírus demandarem a terceira dose. Porém, isso ainda não está previsto no atual Plano Nacional de Imunização e a própria Anvisa, mais tarde, informou que ainda não há evidências suficientes para essa recomendação.

Alguns países também estudam a possibilidade de mais uma aplicação do imunizante. Outros, como Israel e Emirados Árabes, que já estão avançados na vacinação da população, já iniciaram a aplicação da dose de reforço. A Organização Mundial da Saúde (OMS) mantém a orientação de que as nações se preocupem primeiro em terminar as fases com primeiras e segundas doses antes de se pensar na de reforço.

Atualmente, o Brasil tem cerca de 20% da população totalmente vacinada. Em Minas Gerais são cerca de 26%.

Leia mais: 
BH vai vacinar contra Covid moradores de 33 e 34 anos a partir de sexta-feira; veja o cronograma
Diretora da Fhemig fala sobre o atendimento a pessoas com Covid na rede estadual de saúde; acompanhe