A Polícia Civil abriu inquérito para investigar se um bebê de apenas dois meses foi vítima de maus-tratos em Belo Horizonte. Foi a assistente social da Santa Casa da capital que, no último sábado (31), acionou a PM depois que a criança deu entrada na unidade de saúde.

De acordo com a corporação, o recém-nascido apresentava hematomas e mordidas pelo corpo. A tomografia do crânio indicou hemorragia interna, possivelmente causada por "chacoalhões".

Ainda conforme o boletim, a criança chorava e estava irritada, além de não aceitar ser amamentada pela mãe, de 17 anos. Para alimentar a paciente, foi preciso usar uma sonda.

Aos policiais, a adolescente e o companheiro dela, de 20, afirmaram que não sabiam de onde tinham vindo os ferimentos. Os dois foram levados para a delegacia.

Em nota, a Polícia Civil informou que o casal prestou depoimento na Delegacia de Plantão de Contagem, na região metropolitana, e foram liberados. "A autoridade policial entendeu que não havia estado flagrancial para autuá-los", explicou a corporação. As investigações estão em andamento na Delegacia Especializada de Atendimento À Mulher (Deam) da cidade.

A criança continua internada, sob a supervisão de uma tia do pai dela. 

Leia mais: 

BH entra em alerta de baixas temperaturas pela manhã até a próxima segunda-feira
Violão, fotografia e mais: Fundação de Arte de Ouro Preto abre 240 vagas para cursos gratuitos
Pagamento do auxílio de R$ 600 do governo de Minas é adiado para novembro