Minas investiga 171 casos suspeitos de reinfecção pelo novo coronavírus. Até o momento, apenas uma dupla contaminação foi confirmada, segundo dados do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).

Trata-se de um médico de 29 anos, morador de Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Ele testou positivo para Covid-19 pela segunda vez 230 dias após a primeira infecção.

Em relação aos casos suspeitos, 62% foram identificados em mulheres. A faixa etária com mais ocorrências é a de pessoas de 20 a 39 anos, representando quase 45%. Em Belo Horizonte, há 56 notificações em investigação.

Reinfecção

De acordo com a SES, a reinfecção é comprovada quando um indivíduo tem dois resultados positivos de RT-PCR em tempo real para o vírus SARS-CoV-2. Para tanto, essas infecções precisam ter ocorrido com intervalo igual ou superior a 60 dias "entre os dois episódios de infecção respiratória, independente da condição clínica observada nos dois episódios, desde que possua amostras respiratórias (pelo menos, uma amostra de cada episódio de infecção) disponíveis e viáveis para investigação", informou em nota.

O primeiro caso confirmado no mundo foi em agosto de 2020. Trata-se de um morador de Hong Kong, de 33 anos. Ele teve Covid-19 primeiro em março, e depois em agosto - 142 dias de intervalo. Na primeira ocasião, o paciente teve sintomas leves. Já na seguinte foi assintomático e só ficou sabendo da doença pois foi testado no aeroporto. Suas amostras foram submetidas a testes PCR e ao sequenciamento genômico.

Já no Brasil, o Ministério da Saúde (MS) confirmou o primeiro caso de reinfecção em 10 de dezembro. Uma profissional de saúde de 37 anos, moradora de Natal (RN), teve sintomas leves e PCR positivo em junho e outubro. 

Leia mais:
Taxa de transmissão da Covid e ocupação de leitos caem pelo segundo dia consecutivo em BH
Covid-19 já tirou a vida de 124 crianças e adolescentes em Minas
Pesquisa aponta que 90% da população não fazem questão de escolher marca de vacina contra Covid