A Polícia Civil indiciou um dentista, de 34 anos, em Juiz de Fora, na Zona da Mata, por importunação sexual. O caso foi descoberto após uma adolescente, de 17, denunciar o homem no início de julho.

A conclusão do inquérito foi divulgada nesta quarta-feira (28) e, de acordo com a corporação, o suspeito vai responder por sete crimes de importunação sexual e também dois casos de satisfação de lascívia - satisfação do prazer sexual próprio - mediante a presença de criança e adolescente menor de 14 anos.

Ao todo, durante as investigações, 17 pessoas prestaram depoimentos. “O suspeito foi ouvido novamente e admitiu pelo menos dez vítimas, entre criança e adolescentes, em um intervalo de cinco anos”, explicou a delegada Ione Barbosa.

A policial explicou ainda que, no último dia 12, o homem havia sido preso pela prática do crime de importunação sexual e encaminhado à 1ª Delegacia Regional em Juiz de Fora, onde teve o flagrante ratificado.

“Uma adolescente de 17 anos teria ido ao consultório do dentista e no local ele teria se masturbado, enquanto fazia serviços odontológicos. Diante disso, a menina saiu da consulta, foi até a sua mãe e ela acionou a Polícia Militar. Na ocasião, foi feita a prisão do suspeito em flagrante e a Polícia Civil ratificou essa prisão. Ele foi encaminhado ao sistema prisional”.

Durante a apuração, outras vítimas procuraram a PC. “No momento em que elas tomaram conhecimento de que ele havia sido solto, ficaram com receio quanto a sua integridade física e com medo de denunciar. Então, requeremos a prisão preventiva dele, assim como mandados de busca e apreensão”, informou a delegada.

Operação Sorriso Seguro

Em 19 de julho, a polícia realizou a Operação “Sorriso Seguro" em Juiz de Fora. O objetivo foi cumprir mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão em desfavor do investigado.

Na ação, foram apreendidas 600 fichas de atendimento, três notebooks, dois computadores, duas câmeras, uma filmadora e o celular do suspeito. Na ocasião, também foi cumprido mandado de prisão preventiva após ele ter sido solto anteriormente.

Conforme Ione Barbosa, a prisão foi efetuada na casa da mãe dele e os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na residência dela, do suspeito e no consultório. Todo o material foi submetido à perícia.

Leia Mais:
Ministério da Saúde vai fazer estudo para avaliar eficácia da 3ª dose da CoronaVac
Anvisa recebe solicitação de uso de medicamento da Pfizer para tratamento contra Covid
Mortes por Covid-19 chegam a 553,1 mil no Brasil