Os três indicadores monitorados pela Prefeitura de Belo Horizonte para verificar a situação da Covid-19 na cidade registraram alta, segundo informações do boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (27). 

O aumento acontece no mesmo dia em que o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, anunciou a liberação de público nos estádios, atendendo ao limite de 30% da capacidade, e a ampliação do funcionamento dos bares, assim como a capacidade de shows na capital mineira. A nova flexibilização passa a valer a partir de quinta-feira (29).

De acordo com o informe, a taxa de ocupação de leitos de UTI passou de 57,7 para 57,8% e, no caso dos leitos de enfermaria, de de 44,7% para 46,5%. E o terceiro indicador, que é a taxa de transmissão do vírus, que está em alerta verde, o menos preocupante, subiu de 0,90 para 0,91. Isso significa que 100 pessoas contaminam, em média, outras 91 na cidade.

Ao todo, 6.204 moradores do município já morreram vítimas da Covid-19, sendo que 257.247 se infectaram desde o início da pandemia.

Dentre os pacientes, 3.906 seguem em acompanhamento, internados ou em isolamento domiciliar. Outras 247.137 pessoas são consideradas "recuperadas" da doença, ou seja, elas receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento de dez dias em casa e estão há 72 horas assintomáticas e sem intercorrências.

BH recebeu 2.402.707 doses de imunizantes contra o coronavírus. Foram vacinadas 1.379.849 pessoas com a primeira dose e 54.338 com a dose única, da Janssen, o que representa 61,1% do público-alvo da campanha. Já com as duas doses são 543.918 moradores, o que corresponde a 25,5%.

Leia Mais:
Confins suspende vacinação de moradores de 21 anos por falta de doses contra a Covid

Belo-horizontinos infectados pela variante Delta da Covid têm 12 e 14 anos, diz secretário