A secretária municipal de Educação, Ângela Dalben, afirmou, na manhã desta quinta-feira (22), que desde o retorno às aulas presenciais, em abril deste ano, nenhuma escola da capital registrou surtos do coronavírus.

A declaração foi dada durante à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, na Câmara Municipal de BH. “Do retorno para cá, nós não tivemos nenhum surto que declaradamente ficasse apontado como algo que aconteceu dentro da escola. Nenhum profissional nosso foi afetado nessa perspectiva. Toda vez que há alguma dúvida, essa bolha é afastada, os profissionais são afastados e nós entregamos para a perícia médica analisar”, disse.

Ainda de acordo com a titular da pasta, em nenhuma situação foi necessária a suspensão das atividades. Durante a oitiva, a secretária também informou que, hoje, há cerca de 1.100 professores com comorbidades e outros 1.500 com idades acima de 60 anos em regime de teletrabalho.

“Ao longo desse tempo e seguindo a ciência e a pesquisa, o tempo todo trabalhamos com dados, informações e monitoramento para que a gente possa ter decisões assertivas”.

CPI

Nesta quinta, vereadores membros da comissão questionaram a secretária de Educação sobre a aplicação de recursos, municipais e federais, para a adequação das escolas, além do retorno gradativo do ensino, iniciado com alunos da educação infantil em abril deste ano,

Segundo Ângela Dalben, a volta das atividades presenciais ocorreu após estudos e avaliações criteriosas. “A imprevisibilidade da pandemia nos fez, como educadores, pensar muito no que seria melhor ou pior para as famílias e para as crianças. Desenhar a expectativa de um retorno de escola bacana, uma escola que a criança acreditava que seria aquela que ela deixou e chegar ali e não era. Estivemos o tempo todo tentando ter empatia com as famílias e com as crianças, no sentido desse volta ou não volta”.

Leia mais:
CPI da Covid-19 ouve secretária municipal de Educação de BH, Ângela Dalben; veja ao vivo
‘Se tivessem batido na minha porta, população estava imunizada’, diz Kalil sobre vacina da Pfizer
Kalil entrega à Câmara Municipal projeto de lei para extinguir a BHTrans em até 15 anos