Dois integrantes do Boca Juniors precisaram pagar R$ 3 mil de fiança para serem liberados da delegacia, em Belo Horizonte, nesta quarta-feira (21), após confusão na partida com o Atlético, no Mineirão, na noite dessa terça. Já outros seis envolvidos assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e também puderam seguir rumo à Argentina.

De acordo com a Polícia Civil, duas ocorrências foram registradas sobre o caso na Delegacia de Plantão. Na primeira, dois membros da delegação argentina foram autuados em flagrante pelo crime de dano qualificado, por terem, segundo o delegado Luiz Otávio Matozinhos, arremessado bebedouros contra os seguranças do estádio.

"O crime de dano qualificado é infração de médio potencial ofensivo. As imagens captadas no estádio contribuíram para a análise e individualização das condutas de cada um", informou Matozinhos. Devido ao dano qualificado, foi arbitrada fiança no valor de R$ 3 mil para cada flagranteado. Após o pagamento, eles foram liberados e responderão o processo em liberdade.

Já na segunda ocorrência, ainda segundo a Polícia Civil, outros quatro participantes do time argentino cuspiram em policiais militares, que foram acionados às pressas ao Mineirão, já que a PM havia sido dispensada de realizar a segurança no local. Além disso, os suspeitos agrediram funcionários da segurança e da delegação do Atlético. Por esses motivos, eles assinaram o TCO por lesão corporal e desacato, e se comprometeram a comparecer em audiência no Juizado Especial Criminal, em Belo Horizonte.

Por fim, 11 vítimas das agressões manifestaram interesse de dar continuidade na ação judicial. Por isso, foram emitidas guias para a realização do exame de corpo de delito. “O laudo do exame será juntado ao processo e remetido à Justiça para as providências relacionadas a esse fato”, informou o delegado Henrique Miranda, que coordena as delegacias de plantão na capital mineira.

Confusão

O motivo das penalizações foi uma confusão envolvendo jogadores e comissão técnica do time argentino após a derrota para o Atlético, pela Copa Libertadores, no Mineirão, na noite dessa terça (20). O grupo foi levado para a delegacia do bairro Alípio de Melo, na região da Pampulha, onde passou a madrugada.

Segundo a Polícia Militar, eles teriam arremessado garrafas, gradis, lixeiras e até bebedouros contra seguranças do Atlético e funcionários da empresa que administra o estádio. Além disso, o zagueiro Carlos Zambrano, do Boca, teria cuspido em dois militares. Os agentes utilizaram spray de pimenta para dispersar a briga.

Na delegacia, o grupo foi ouvido durante toda a madrugada e liberado apenas na tarde desta quarta, por volta de 12h20 - ou seja, cerca de 14 horas após o início da confusão.

Leia mais:
Secretário de Saúde de BH anuncia vacinação contra Covid para pessoas com 36 e 37 anos; veja datas
BH está sob alerta de baixa umidade e outras 35 cidades mineiras têm risco de geada nesta quinta
Operação resgata mais de 60 pessoas em trabalho análogo à escravidão no Sul de Minas