Jogadores e comissão técnica do Boca Juniors permanecem em Belo Horizonte após uma confusão depois da derrota para o Atlético, pela Copa Libertadores, na noite dessa terça-feira (20). Na manhã desta quarta (21), a delegação segue na delegacia de Polícia Civil do bairro Alípio de Melo, na região da Pampulha.

Dois ônibus do clube argentino estão parados em frente à unidade. Conforme informou a Polícia Militar (PM), ao menos quatro pessoas, entre jogadores e integrantes da comissão técnica, foram detidas após a briga.

Eles teriam jogado objetos como garrafas, gradis, lixeiras e bebedouros contra seguranças do Atlético e funcionários da Minas Arena, empresa que administra o estádio. Ainda segundo a PM, um jogador do Boca, o zagueiro Carlos Zambrano, teria cuspido em dois militares. Os policiais utilizaram spray de pimenta para dispersar a briga.

Jogadores e membros da delegação foram encaminhados à delegacia de Polícia Civil e um boletim de ocorrência foi registrado por danos ao patrimônio e desacato aos policiais. De acordo com o documento, 13 pessoas foram vítimas de agressão.

Leia mais:
Em nota, Galo detalha agressões do Boca e depredação de dependências do Mineirão
Cuca cita clima tenso contra o Boca, minimiza placar em branco e crava: ‘o importante é passar’
‘Boca, decime qué se siente’: argentinos reclamam de arbitragem e apelam após eliminação