A possível omissão do governo federal no enfrentamento à pandemia da Covid-19, como as recusas por ofertas da vacina da Pfizer - investigadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senador - “horrorizou” o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD).

O chefe do executivo municipal foi questionado sobre o tema na manhã desta sexta-feira (16) e lembrou várias tentativas realizadas pela PBH para a compra de imunizantes. No ano passado, Kalil chegou a anunciar que tentaria adquirir cerca de 4 milhões de doses.

“O grande problema é que nós fomos atrás da vacina. Conversei com todas, mas por meios legais. E eu não vi ninguém querendo vender. Você escuta que a Pfizer bateu na porta da embaixada brasileira e não foi atendida. De tudo que aconteceu na CPI, o que me horrorizou foi exatamente isso. E os bobos dos prefeitos, governadores, procurando vacina”, disse, em entrevista à GloboNews.

O prefeito ainda lamentou que uma proposta parecida não tenha chegado. “Se tivessem batido na minha porta aqui, a minha população estava imunizada”, afirmou.

Leia mais:
Covid: com avanço da vacinação, cidades mineiras registram queda no número de mortes e internações
Minas distribui novas doses de vacinas da AstraZeneca às Unidades Regionais de Saúde do Estado
BH vacina contra Covid-19 moradores com 41 anos nesta sexta-feira