Shows e outros eventos socioculturais - como em teatros - foram liberados pela Prefeitura de Belo Horizonte nesta quinta-feira (1º). Porém, há algumas determinações que precisam ser cumpridas para a realização dessas atividades, autorizadas a partir de sábado (3), após publicação de um decreto.

Em entrevista coletiva, o presidente da Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte da (Belotur), Gilberto Castro, disse que não serão exigidos os testes de Covid-19 na porta dos estabelecimentos, mas o uso de máscara ainda é obrigatório.

O que também é uma obrigatoriedade é que o público, limitado a 600 pessoas, permaneça sentado. Caso haja alimentação e consumo de bebida alcoólica, o número máximo de participantes cai para 400.

Nesses ambientes, haverá necessidade do distanciamento entre as pessoas, conforme estabelecido no protocolo sanitário da PBH. A administração municipal também precisa ser informada para que ocorra o monitoramento da atividade.

A nova flexibilização, segundo explicou o secretário Municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, acontece por conta dos indicadores que monitoram a pandemia em BH, que, neste momento, são favoráveis à mudança. “Por causa dessa queda, o comitê decidiu pela liberação de eventos na cidade”, avaliou.

Cinemas

Cinemas, museus e galerias também foram autorizados a abrir as portas. Porém, esses estabelecimentos só poderão funcionar com 50% da capacidade total, além de adotar critérios de distanciamento entre o público e exigir o uso de máscaras.

Leia mais:

PBH libera eventos com até 600 pessoas; comércio poderá abrir aos domingos
BH autoriza festas de aniversário e casamentos com testagem obrigatória; veja regras
‘É possível’, diz secretário de Saúde de BH sobre realização do Carnaval em 2022