O presidente da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), Diogo Prosdocimi, disse, nesta quinta-feira (25), que a mobilidade urbana em Belo Horizonte está sendo revista e que, “de acordo com as medidas do prefeito Alexandre Kalil, parte fundamental dessa revisão da mobilidade é rever os contratos de concessão da cidade e não haverá reajuste nas passagens enquanto isso não for discutido amplamente, inclusive com a população”.  

Diogo Prosdocimi explicou que a gestão dele está ligada a mudanças essenciais na questão da mobilidade na capital, já que 61% dos usuários do transporte coletivo de BH não gostam do serviço prestado e que os reflexos do setor estão em um trânsito intenso, mais poluição sonora e perda de tempo no trânsito.

Sobre a investigação do Ministério Público de Contas em relação à compra antecipada de vale-transporte como forma de manter os serviços e reduzir os impactos econômicos da Covid-19 no transporte, o presidente da BHTrans informou que o acordo firmado entre a PBH e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setra), que prevê a antecipação semanal de até R$ 4 milhões, está em vigor e deve terminar no final de março.

Acompanhe a entrevista na íntegra.