Um dia após a forte chuva que provocou pelo menos cinco mortes - uma criança ainda está desaparecida - e muita destruição em Santa Maria de Itabira, na região Central do Estado, a segunda-feira (22) tem sido marcada pelo temor de nova tragédia em meio aos estragos que são contabilizados.

Na cidade, de 40 a 50 pessoas estão desabrigadas. A prefeitura irá decretar situação de calamidade pública. As informações são do prefeito Reinaldo Santos, que concedeu entrevista à rádio CBN, na manhã de hoje.

"Nunca vi nada assim na minha vida. As vias acabaram, pontes foram embora", disse o chefe do Executivo, que também teve a casa invadida pela força das águas. Segundo ele, sobrou apenas a televisão. O prejuízo ao município, nesse momento, é incalculável.

Com o solo encharcado e previsão de mais chuva nos próximos dias, o gestor teme novos estragos e, por isso, mais famílias poderão ser retiradas das residências. "Ainda há riscos de deslizamentos. Temos que estar prevenidos agora e tirar as pessoas de casa, mesmo com as resistências, para que outra tragédia não ocorra".

Socorro

Em meio ao caos, a solidariedade marca presença no município. Muitas doações já foram enviadas à cidade, mas, segundo o prefeito, ainda é preciso mais ajuda. O abastecimento de água segue comprometido e está interrompido temporariamente. Por isso, água mineral tem sido solicitada.

Outros itens importantes são colchões, roupas de cama, produtos de limpeza e higiene pessoal. Alguns pontos de apoio para receber os materiais foram montados, como no centro cultural da cidade. Outro local para entrega é a prefeitura, que fica na rua Casemiro Andrade, 279, no Centro. O telefone de contato é o (31) 3838-1209.

Leia mais:
De Santa Maria de Itabira, Zema garante apoio a vítimas da chuva
Bombeiros encontram mais três corpos em Santa Maria de Itabira, cidade arrasada pela chuva
Chuvas fortes deixam Santa Maria de Itabira debaixo d'água; uma pessoa morreu soterrada