Um grupo de pais e alunos de Belo Horizonte realiza, nesta quinta-feira (18), uma manifestação simbólica nas escolas particulares da capital mineira, chamando a atenção para o que chamam de “negligência com a educação”.

Durante a manhã, os manifestantes vão deixar flores e cartazes nas portas das instituições de ensino, onde pedem o retorno seguro das aulas presenciais, após quase um ano das unidades de educação fechadas em decorrência da pandemia da Covid-19.

Na convocação, divulgada nas redes sociais, o grupo considera que o “coronavírus não pode matar a educação”. A ação também está sendo realizada em instituições de ensino da Região Metropolitana de Belo Horizonte. 

Retorno na capital pode ocorrer em março

No início do mês de fevereiro, a Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de Belo Horizonte informou que foi sinalizada a possibilidade do retorno presencial às aulas para o início de março, caso os indicadores de monitoramento contra a Covid-19 permaneçam em queda. 

A volta presencial está prevista em três fases. A primeira contemplará os alunos da educação infantil, de 0 a 5 anos, que é ofertada nas escolas da rede municipal, nas creches parceiras e, também, na rede particular. A segunda fase com alunos de 6 a 8 anos e, a terceira, com as crianças de 9 a 14 anos.

Leia mais:
Comissão da Câmara visita escolas municipais de BH para avaliar possível volta às aulas presenciais
Volta às aulas presenciais exige motivação dos estudantes
Justiça suspende liminar que permitia funcionamento de creches e pré-escolas de BH