Uma equipe da Secretaria de Estado de Saúde de Minas (SES-MG) está há dois dias na macrorregião do Triângulo Norte, que engloba 27 cidades mineiras, para dar apoio no enfrentamento à Covid-19. Nesta quarta-feira (17), em reunião na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com representantes da instituição, do Estado e da Prefeitura de Uberlândia, foram discutidas estratégias assistenciais e a ampliação de leitos para pacientes com coronavírus.

“Não vamos medir esforços para colaborar com o aumento da capacidade assistencial na região. O Governo de Minas está de portas abertas para ajudar e também irá articular junto ao governo federal a necessidade de ampliação de leitos", explicou Carlos Eduardo Amaral, secretário de Saúde de Minas Gerais.

Referência em alta complexidade para as 27 cidades, o Hospital das Clínicas (HC-UFU) conta com 38 leitos de unidade de terapia intensiva. Desses, 16 são exclusivos para o atendimento a pacientes com Covid-19. Desde a semana passada, com o aumento das internações, o hospital dobrou a capacidade de leitos de UTI, de oito para 16.  

Para Carlos Amaral, a maior preocupação no momento é evitar a falta de assistência na região. O secretário também fez um apelo para a manutenção de medidas de distanciamento social. “É necessário que a população entenda que a pandemia não acabou. Precisamos reduzir a circulação de pessoas para evitar a multiplicação dos casos”, aponta. 

Coromandel 

Em meio à falta de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e à beira de um colapso no sistema de saúde devido à Covid-19, a Prefeitura de Coromandel publicou um novo decreto, mais rígido, com barreiras sanitárias instaladas em todas as entradas e saídas do perímetro urbano, restrição de circulação de pessoas, toque de recolher e lei seca.

Segundo boletim municipal, de domingo (1) para segunda-feira (15) foram 11 mortes pelo coronavírus. No boletim de 1º de fevereiro constavam 10 mortes pela Covid-19 e na terça-feira (16) foram 31 mortes e três casos suspeitos. Um aumento de 210% no número de óbitos pela doença. No total, a cidade de quase 28 mil habitantes tem 1.063 pessoas com a doença, 24 mortes confirmadas e nove em análise.