A Prefeitura de Igarapé, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, informou nesta terça-feira (16) que foi notificada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) sobre a abertura de inquérito e que vai colaborar com as investigações sobre as causas da pane no refrigerador da Secretaria Municipal de Saúde, que resultou na perda de 229 doses de vacina contra a Covid-19.

O promotor André Salles Dias Pinto pretende apurar se houve improbidade administrativa e dano moral coletivo no caso.

As 229 doses de vacina foram perdidas após uma pane elétrica em um refrigerador da Policlínica da cidade. O problema ocorreu no fim de semana, mas só foi descoberto na manhã da segunda-feira (15), quando uma funcionária da unidade chegou para trabalhar. A temperatura do equipamento estava em 36ºC, enquanto o permitido para a CoronaVac é de até 8ºC.

O procurador do município, Pedro Américo, disse que a administração municipal é a principal interessada em esclarecer o ocorrido e vai colaborar com as investigações. "Vamos atender todas as solicitações do Ministério Público, dentro dos prazos que forem estipulados", garantiu Américo.

Conforme informou a prefeitura, os imunizantes perdidos eram os últimos no estoque de um total de 152 vacinas que seriam destinadas à aplicação da primeira dose em idosos com 90 anos ou mais. Outras 77 eram reservadas para a aplicação da segunda dose em profissionais de saúde. 

A Polícia Civil também decidiu abrir um inquérito para apurar as causas que levaram a perda dos imunizantes após a pane nos três refrigeradores. Além disso, uma sindicância interna realizada pela controladoria do município vai apurar o ocorrido. 

Novas doses

A prefeitura já solicitou ao Governo de Minas a análise do estoque de vacinas possivelmente comprometido com alteração da temperatura do refrigerador e a reposição das doses para dar continuidade à campanha de vacinação contra a Covid-19, que foi suspensa no município.