O Brasil ultrapassou a marca de 11,3 milhões de microempreendedores ativos. Em 2020, foram criados 2,6 milhões de registros de Microempreendedor Individual (MEI), o maior número nos últimos cinco anos. O especialista em planejamento estratégico, inovação, empreendedorismo e competitividade Maurício Tadeu Morais conta que a perspectiva é que 1/4 da massa trabalhadora do Brasil deve ter o próprio negócio até 2024.

A pandemia do novo coronavírus alavancou o empreendedorismo por necessidade, já que muitas pessoas perderam o emprego. Mas é preciso muito cuidado, segundo o especialista, já que dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) revelam que 68% das empresas fecham em até quatro anos por falta de planejamento, de pesquisa e de fluxo de caixa.  

Maurício Tadeu Morais explica que a sobrevivência das novas empresas deve estar atrelada à paixão pelo negócio, à inovação contínua, à utilização de canais digitais para vender os produtos e fazer cursos de gestão comportamental para obter ações mais assertivas.

Acompanhe a entrevista na íntegra.