Manifestantes contrários ao governo Bolsonaro realizaram, na manhã deste sábado (30), mais uma carreata em favor do impeachment do presidente. Desta vez, o protesto, organizado pelo grupo Mobiliza Vermelho, foi realizado em ruas de bairros da região Noroeste da capital mineira.

A concentração aconteceu atrás do Centro de Referência da Juventude (CRJ), na rua Guaicurus, e a carreata seguiu até à Maternidade Leonina Leonor, na região de Venda Nova, onde participaram de um outro ato.

Com faixas, bandeiras do Brasil e carro de som, o grupo exige a abertura do processo de afastamento de Jair Bolsonaro, e busca o impeachment do chefe do Executivo por conta de atitudes tomadas em meio à pandemia da Covid-19.

Além da saída do presidente, os manifestantes também pedem mais rapidez na campanha de vacinação contra a doença em cartazes com dizeres como “vacina já para todos”.

“Leonina Leonor é nossa”

No fim da carreata, segundo os organizadores, os manifestantes participarão de um outro ato. Dessa vez, em frente à Maternidade Leonina Leonor, em Venda Nova. No local, o grupo engrossará o movimento “Leonina Leonor é nossa”, que pede que a maternidade não seja desmontada.

A unidade foi erguida em 2008, dentro da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), mas nunca entrou em funcionamento. Foram investidos R$ 4,9 milhões, sendo R$ 2,7 milhões destinados à maternidade (recurso do Fundo Municipal de Saúde) e R$ 2,2 milhões à casa de parto (recurso do Tesouro). A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) não tem intenção de abrir o espaço, que deve um Centro de Atendimento à Mulher.

Leia mais:
Quase 15 mil pessoas já perderam a vida para a Covid-19 em Minas; Estado confirmou mais 8 mil casos
Zema é contra possível pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro
Governadores pedem que Bolsonaro compre doses da vacina CoronaVac