Nada de gente sem máscara nas ruas nem aglomeração de clientes dentro das lojas. Tampouco bares e restaurantes vendendo bebida alcoólica após 15h. A retomada do comércio não essencial em Belo Horizonte, a partir de hoje, será marcada pelo rigor na fiscalização. Pelo menos, é o que promete a prefeitura.

A segurança, a partir de agora, será muito mais rígida porque ninguém é bobo”, garantiu o prefeito Alexandre Kalil, que autorizou nova flexibilização no comércio da capital, após a queda dos índices de ocupação de leitos de UTI e da taxa de transmissão da Covid-19. 

Todo o efetivo da Guarda Municipal, fiscais da Subsecretaria de Fiscalização e agentes da Vigilância Sanitária estarão nas ruas de BH para autuar quem descumprir os protocolos. Os flagrados desrespeitando as regras poderão ter o estabelecimento interditado e ainda pagar multa de R$ 18 mil.

Como será
De portas fechadas desde 11 de janeiro – como forma de tentar frear a disseminação do novo coronavírus na cidade –, bares e restaurantes funcionarão de segunda a sábado, entre 11h e 22h, mas com a venda e consumo de bebidas alcoólicas só até 15h.
 
Mesmo durante o período de restrição, que completou três semanas ontem, alguns comerciantes insistiram em abrir as portas, burlando o decreto anterior da PBH. “Está todo mundo vendo a meia porta aberta. Mas nós, até por uma questão de vista grossa, achamos que era por bom evitar”, admitiu o prefeito.

Fiscalização
De 19 de março de 2020 a 24 de janeiro de 2021, os fiscais da administração municipal fizeram 71 mil abordagens educativas nos estabelecimentos da cidade. Nesse período, foram feitas 275 interdições e aplicadas 34 multas.

Moradores de Belo Horizonte podem ajudar na fiscalização por meio de denúncias. O cidadão pode buscar os canais da PBH: telefone 156, APP PBH e site servicos.pbh.gov.br.

Leia mais:
Feira Hippie e mais 9 feiras voltam a funcionar em BH; confira as regras
Após autorização de reabertura, como será o funcionamento do comércio em BH? Confira horários