O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, alertou para o risco da variante brasileira do novo coronavírus, identificada em Manaus, no Amazonas, provocar um agravamento do quadro epidemiológico no Brasil que, na sua avaliação, está "em progressão". As declarações foram feitas em entrevista ao programa Manhattan Connection, da TV Cultura.

“Hoje nós temos quatro grandes crises sanitárias. E entrando a quinta crise que é essa história, dessa cepa, dessa variante de Manaus, que o mundo inteiro está fechando os voos para o Brasil e o Brasil está, não só aberto normalmente, como está retirando paciente de Manaus e mandando para Goiás, mandando para a Bahia, mandando para outros lugares sem fazer os bloqueios de biossegurança”, disse o ex-ministro durante a entrevista.

"Provavelmente, a gente vai plantar essa cepa em todos os territórios da federação e daqui a 60 dias a gente pode ter uma megaepidemia", completou.

As outras quatro crises enfrentadas pelo Brasil ao longo da pandemia, apontadas por Mandetta na entrevista, foram a sabotagem do presidente Jair Bolsonaro ao sistema de prevenção, a defesa do uso da cloroquina que "contaminou a política do tratamento", pouco alcance da testagem e o discurso desestimulante de Bolsonaro à vacina.