Um homem de 39 anos foi preso na manhã da terça-feira (26) suspeito de produzir e divulgar em rede social imagens íntimas da própria filha, de 6 anos. O investigado foi localizado pela Polícia Civil em Pará de Minas, na região Central do Estado. 

De acordo com a delegada Sabrina Leves de Lima, do Departamento Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos da Polícia Civil de Goiás, as investigações começaram a partir da denúncia de uma testemunha, com informações de que um homem estaria transmitindo imagens de uma criança nua em um aplicativo de celular. 

Conforme o delegado Douglas Barcelos, responsável pelas investigações em Pará de Minas, o autor também praticava atos sexuais na criança, conforme os usuários solicitavam, em troca de criptomoedas. Junto da denúncia, foram apresentados trechos de vídeos produzidos pelo investigado.

“Ao final do inquérito, ele poderá ser indiciado pelos crimes de estupro de vulnerável e satisfação de lascívia mediante presença de criança”, disse o delegado.

Barcelos explicou que a Polícia Civil mineira, após as apurações realizadas pela polícia goiana, representou judicialmente pela prisão do investigado e pela busca e apreensão domiciliar. O pai da criança confessou a autoria dos vídeos. 

A polícia goiana informou ainda que o suspeito possui intenso contato com a filha e ostenta, em sua foto de perfil em um aplicativo, uma imagem na qual aparece beijando a boca da menina. O celular dele e um caderno da criança foram apreendidos.

Leia também:

Minas investiga 20 casos de 'fura-filas' da vacinação contra Covid-19
Aumento da ansiedade e do estresse na pandemia da Covid-19 fazem crescer casos de bruxismo