A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) informou nesta terça-feira (26) que a distribuição de alimentos diretamente aos estudantes pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), durante a pandemia de Covid-19, continua autorizada pelo Ministério da Educação.

Estados e municípios estão autorizados a distribuir os gêneros alimentícios, adquiridos com recursos do Pnae às famílias dos estudantes da educação básica, enquanto persistir a suspensão das aulas presenciais. 

A medida beneficia diretamente os agricultores familiares que vendem seus produtos para as instituições de ensino.

O Pnae estabelece que no mínimo 30% dos recursos repassados aos estados e municípios pelo FNDE para a alimentação escolar devem ser utilizados na compra de alimentos produzidos pela agricultura familiar. A Emater-MG presta assistência técnica aos agricultores, elabora projetos e divulga as oportunidades oferecidas pelo programa.

Com o surgimento da pandemia no ano passado, as escolas fecharam e muitos produtores foram impedidos de manter as entregas contratadas pelo Pnae. A situação prejudicou a alimentação dos estudantes e também a renda dos agricultores.

Diante deste cenário, várias cidades, com auxílio da Emater-MG, retomaram as compras de produtos da agricultura familiar por meio do programa e fizeram a distribuição direta de kits de alimentos aos pais ou responsáveis pelos alunos da educação básica.

“Inicialmente, houve uma dificuldade de organizar o planejamento de cardápio e da logística para entrega desses kits para as famílias. Mas, depois, tivemos um retorno muito positivo dos municípios. Melhorou muito para os agricultores com a compra e a entrega desses produtos pelas escolas”, explica a coordenadora técnica estadual da Emater-MG, Ana Luiza Resende.