A vacinação contra a Covid-19 já começou em Minas. No início da noite desta segunda-feira (18), 577.480 doses chegaram em Confins, na Grande BH, para serem distribuídas aos 853 municípios do Estado.

O Hoje em Dia selecionou algumas dúvidas que têm sido frequentes sobre a imunização. Confira:

Já começou a vacinação contra a Covid-19 em Minas?
Sim. A primeira dose foi aplicada na noite desta segunda-feira (18), em um “ato simbólico”, no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Grande BH. Nessa terça-feira, as vacinas estão sendo enviadas aos municípios mineiros. 

A vacina contra a Covid-19 será gratuita?
Sim. As doses serão oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em Minas, a imunização será feita nas Unidades Básicas de Saúde dos municípios ou conforme a necessidade de atendimento do público-alvo, como no casos de idosos que ficam em asilos.

Qual vacina posso receber, neste momento, em Minas?
Duas imunizações foram aprovadas para uso emergencial pela Anvisa: a CoronaVac e a de Oxford, desenvolvida pela Astrazeneca. Nesse momento, apenas a primeira - desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o Butantan, está sendo aplicada.

Quais são os grupos prioritários para receber a dose?
Nesse primeiro momento, trabalhadores de saúde que atuam na linha de frente de combate à Covid-19, pessoas com 60 anos ou mais que estejam em asilos, pessoas com deficiência que estão em instituições de apoio e população indígena em terras demarcadas.

Não sou do grupo de risco. Posso comprar a vacina em alguma clínica particular?
Inicialmente, as vacinas aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não serão disponibilizadas no setor privado. A imunização ocorrerá apenas em unidades públicas, pelo SUS. Porém, isso ainda poderá ocorrer. Clique aqui e saiba mais.

A vacinação é obrigatória?
Não. O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que os governos locais podem estabelecer medidas legais pela obrigatoriedade, mas não determinar a vacinação forçada. Por exemplo, os municípios poderão proibir o acesso de pessoas sem a imunização em determinados locais, como parques.  

Preciso levar algum documento? Qual?
Sim. Devido à importância da identificação do cidadão no momento da imunização, o Ministério da Saúde orienta levar um documento com foto que tenha o número do CPF. Na ausência dele, o Cartão Nacional de Saúde (CNS).

Após ser vacinado, posso parar de usar máscara?
Autoridades de saúde recomendam que a máscara continue sendo um acessório indispensável no dia a dia. A imunização só é completada após a aplicação da segunda dose, que deve ocorrer cerca de 30 dias depois da primeira. Além disso, a vacina não garante que a pessoa está 100% blindada contra a Covid-19. Ela reduz a chance de infecção e a gravidade da enfermidade, caso ocorra o contágio.

Quem receber a vacina, pode ser infectado pelo coronavírus?
De acordo com o Instituto Butantan, quem for vacinado com a CoronaVac estará livre de desenvolver a forma grave da doença. A pessoa não corre risco de internação. Além disso, 78% não terão nem sintomas leves, que ainda necessitam de cuidados médicos. Já a eficácia global de 50,38% significa que pouco mais da metade de quem receber a vacina terá, no máximo, sintomas muito leves.

Leia mais:

BH iniciará vacinação pelos profissionais de saúde da linha de frente contra a Covid-19
Qual o meu lugar na fila de vacinação contra a Covid? Veja se você faz parte dos grupos prioritários
Vacinação contra a Covid começa pela Grande BH; prioridade é para profissionais da saúde