Ações da Polícia Militar já prenderam 11 pessoas desde o dia 2 de janeiro até esta terça-feira (12), na Região Metropolitana de Belo Horizonte, por praticarem crimes contra motoristas de aplicativo. 

As abordagens foram intensificadas após duas reuniões entre as lideranças da categoria e o governo de Minas, ocorridas na última terça-feira (5) e nessa segunda (11). Na semana passada, o encontro foi de verificação das dificuldades diante das ações violentas e apontamentos para elaboração de um projeto de segurança, o qual foi apresentado ontem.
 
Na ocasião, o coronel Eduardo Felisberto, chefe do Estado Maior da Polícia Militar, disse que as discussões estão voltadas para a prevenção. "A prisão é importante, mas se não houver o crime é ainda melhor. São operações que podem trazer mais tranquilidade para motoristas e passageiros”, afirmou.
 
Em nota, a PM disse que irá atuar de maneira preventiva e reativa, com a ampliação do monitoramento, plano de contingência, estruturação da rede de motoristas protegidos, aumento do número de militares nas viaturas e em locais estratégicos. Além disso, em alguns casos, poderão ser utilizados equipamentos tecnológicos para a prevenção de delitos. 

Em média, a polícia prendeu uma pessoa por dia, espalhadas nos municípios de Vespasiano, Sabará, Contagem, São José da Lapa e Betim. Entre os detidos, está um adolescente. Na maioria dos crimes, armas de fogo ou simulacros usados para intimidar os condutores foram apreendidos.

Leia mais:
Após chuvas na Grande BH, bombeiros foram acionados 21 vezes por queda de árvores
Três pessoas morreram em batida entre caminhão e dois carros na BR-381, na Grande BH