Apenas os serviços não essenciais, como farmácias e supermercados, estão em funcionando na capital a partir desta segunda-feira (11), de acordo com decreto publicado pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). A decisão, no entanto, desagradou vários setores.  

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, em Minas (Abrasel-MG) criticou a medida anunciada pelo prefeito Alexandre Kalil. Segundo ela, os estabelecimentos foram proibidos de vender bebidas alcóolicas desde 7 de dezembro com o intuito de reduzir os índices de contaminação, mas isso não ocorreu.

O presidente da Abrasel-MG, Matheus Daniel, conversa com a repórter Maria Amélia Ávila sobe o impacto da proibição de funcionamento dos bares e restaurantes em BH, nesta segunda (11), às 18h. A live será transmitida pelo Instagram do Hoje em Dia.

Leia mais:

Comerciantes da capital ameaçam descumprir decreto da PBH contra a Covid